Translate

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Espaço Maria Almira Medina | Hora do Conto em Sintra | Portugal - Missão, Metas e Localização

Cinco eixos principais
da Missão e Metas
 que servem e explicam a razão do Espaço Maria Almira Medina |  Hora do Conto em Sintra

" Respeitar" Qualquer ideia do cidadão Sintrense em particular, que partilhe o seu conhecimento e ajude a desfazer os nós da Vida ( seu e o dos outros) com pedagogia e liberdade, como um exemplo, obrigatório respeitar, a obra e o pensamento da Maria Almira Medina.

“Proteger” a Hora do Conto - animação do livro e da leitura, criado em 1993 em Sintra, como um projeto pedagógico, educativo e cultural com vista á dinamização cultural das Bibliotecas; semeando e cuidando a promoção humana e o desenvolvimento pessoal, qualquer que seja a idade.

“Preservar o Oficio do Contador”, como um dos oficios ancestrais das pequenas comunidades, arte de narrar e ouvir a oralidade que trás o conhecimento, feito experiência no saber fazer, com base nas artes e oficios e na imaginação do fantástico, sempre com o intuito de promover a comunidade onde está inserida. O oficio do Contador é um oficio de mestre em educar-se pelas artes em geral abarcando o propósito de disfrutar a vida em harmonia e em liberdade.

“Transformar” o estudo da prática de leitura dinâmica, com estímulo a contos, histórias e lendas, cantigas e a brincadeiras, a contação de histórias numa aprendizagem sócio-cultural de "performances" e novas tecnologias para reforçar e partilhar a ideia que Ler + Ouvir melhora o relacionamento de afectos entre o cidadão e as comunidade - local e internacional;

"Fazer Acolhimento para realizar Itinerância" a vontade de promover a liberdade de expressão e criação sempre com o livro e a musica a acompanhar - ferramentas (artísticas) que qualquer comunidade deve saber usar para melhor se auto-ajudar a empreender na qualidade do saber e fazer - Educação pela Arte  leva-nos a fazer Acolhimento para realizar itinerância, estar sempre onde haja crianças, quer seja em azinhagas, caminhos, ruas, praças, largos ou espaços nunca dantes calcorreados, quer por Portugal a fora, quer pelo Mundo, principalmente pelos países e comunidades Lusófonas.  
Assim cumprimos a missão de levar a palavra, o pensamento, a imagem e as histórias através do LIVRO .

 
O espaço também serve de Laboratório e Biblioteca da Casa das Cenas - Educação pela Arte

Espaço Maria Almira Medina | Hora do Conto em Sintra | Portugal - Missão, Metas e Localização

Cinco eixos principais
da Missão e Metas
 que servem e explicam a razão do Espaço Maria Almira Medina |  Hora do Conto em Sintra

" Respeitar" Qualquer ideia do cidadão Sintrense em particular, que partilhe o seu conhecimento e ajude a desfazer os nós da Vida ( seu e o dos outros) com pedagogia e liberdade, como um exemplo, obrigatório respeitar, a obra e o pensamento da Maria Almira Medina.

“Proteger” a Hora do Conto - animação do livro e da leitura, criado em 1993 em Sintra, como um projeto pedagógico, educativo e cultural com vista á dinamização cultural das Bibliotecas; semeando e cuidando a promoção humana e o desenvolvimento pessoal, qualquer que seja a idade.

“Preservar o Oficio do Contador”, como um dos oficios ancestrais das pequenas comunidades, arte de narrar e ouvir a oralidade que trás o conhecimento, feito experiência no saber fazer, com base nas artes e oficios e na imaginação do fantástico, sempre com o intuito de promover a comunidade onde está inserida. O oficio do Contador é um oficio de mestre em educar-se pelas artes em geral abarcando o propósito de disfrutar a vida em harmonia e em liberdade.

“Transformar” o estudo da prática de leitura dinâmica, com estímulo a contos, histórias e lendas, cantigas e a brincadeiras, a contação de histórias numa aprendizagem sócio-cultural de "performances" e novas tecnologias para reforçar e partilhar a ideia que Ler + Ouvir melhora o relacionamento de afectos entre o cidadão e as comunidade - local e internacional;

"Fazer Acolhimento para realizar Itinerância" a vontade de promover a liberdade de expressão e criação sempre com o livro e a musica a acompanhar - ferramentas (artísticas) que qualquer comunidade deve saber usar para melhor se auto-ajudar a empreender na qualidade do saber e fazer - Educação pela Arte  leva-nos a fazer Acolhimento para realizar itinerância, estar sempre onde haja crianças, quer seja em azinhagas, caminhos, ruas, praças, largos ou espaços nunca dantes calcorreados, quer por Portugal a fora, quer pelo Mundo, principalmente pelos países e comunidades Lusófonas.  
Assim cumprimos a missão de levar a palavra, o pensamento, a imagem e as histórias através do LIVRO .

 
O espaço também serve de Laboratório e Biblioteca da Casa das Cenas - Educação pela Arte

Espaço Maria Almira Medina | Hora do Conto em Sintra | Portugal - Missão, Metas e Localização

Cinco eixos principais
da Missão e Metas
 que servem e explicam a razão do Espaço Maria Almira Medina |  Hora do Conto em Sintra

" Respeitar" Qualquer ideia do cidadão Sintrense em particular, que partilhe o seu conhecimento e ajude a desfazer os nós da Vida ( seu e o dos outros) com pedagogia e liberdade, como um exemplo, obrigatório respeitar, a obra e o pensamento da Maria Almira Medina.

“Proteger” a Hora do Conto - animação do livro e da leitura, criado em 1993 em Sintra, como um projeto pedagógico, educativo e cultural com vista á dinamização cultural das Bibliotecas; semeando e cuidando a promoção humana e o desenvolvimento pessoal, qualquer que seja a idade.

“Preservar o Oficio do Contador”, como um dos oficios ancestrais das pequenas comunidades, arte de narrar e ouvir a oralidade que trás o conhecimento, feito experiência no saber fazer, com base nas artes e oficios e na imaginação do fantástico, sempre com o intuito de promover a comunidade onde está inserida. O oficio do Contador é um oficio de mestre em educar-se pelas artes em geral abarcando o propósito de disfrutar a vida em harmonia e em liberdade.

“Transformar” o estudo da prática de leitura dinâmica, com estímulo a contos, histórias e lendas, cantigas e a brincadeiras, a contação de histórias numa aprendizagem sócio-cultural de "performances" e novas tecnologias para reforçar e partilhar a ideia que Ler + Ouvir melhora o relacionamento de afectos entre o cidadão e as comunidade - local e internacional;

"Fazer Acolhimento para realizar Itinerância" a vontade de promover a liberdade de expressão e criação sempre com o livro e a musica a acompanhar - ferramentas (artísticas) que qualquer comunidade deve saber usar para melhor se auto-ajudar a empreender na qualidade do saber e fazer - Educação pela Arte  leva-nos a fazer Acolhimento para realizar itinerância, estar sempre onde haja crianças, quer seja em azinhagas, caminhos, ruas, praças, largos ou espaços nunca dantes calcorreados, quer por Portugal a fora, quer pelo Mundo, principalmente pelos países e comunidades Lusófonas.  
Assim cumprimos a missão de levar a palavra, o pensamento, a imagem e as histórias através do LIVRO .

 
O espaço também serve de Laboratório e Biblioteca da Casa das Cenas - Educação pela Arte

Espaço Maria Almira Medina | Hora do Conto em Sintra | Portugal

Nossa Missão 

" Respeitar" Qualquer cidadão que partilhe o seu conhecimento e ajude a desfazer os nós da Vida    ( sua e a dos outros) com pedagogia e liberdade, é obrigatório respeitar, como por exemplo a Maria Almira Medina.

“Proteger” a Hora do Conto - animação do livro e da leitura como um projeto- acção pedagógica, educativa e cultural para a promoção humana e desenvolvimento pessoal, qualquer que seja a idade;
“Transformar”a prática da leitura dinâmica com estímulo a contos, histórias e lendas, cantigas e brincadeiras, numa aprendizagem sócio-cultural de "performances" e novas tecnologias para reforçar e parttilhar a cidadania entre as comunidades - local e internacional;
“Preservar”, a oralidade do conhecimento, a base dos ofícios para promover na comunidade onde está inserida, a educação pela arte, para o desenvolvimento, para sustentabilidade ambiental, para que todos possam disfrutar em harmonia e liberdade a vida -- o amor pelo fantástico.

"Fazer Itinerância" Vamos estar sempre onde haja crianças, por azinhagas, caminhos, ruas, praças, largos visitados ou nunca dantes calcorreados por Portugal afora e pelo Mundo, principalmente pelos países e comunidades Lusófonas.  Assim cumprimos a missão de levar a palavra, o pensamento auto-crítico, a vontade de preservar a liberdade de expressão e criação sempre com o livro e a musica a acompanhar - ferramentas artísticas que qualquer comunidade deve saber usar para melhor se auto-ajudar a empreender na qualidade do saber e fazer - Educação pela Arte.

Cinco eixos principais que serve e explica o Espaço Maria Almira Medina |  Hora do Conto 


O espaço também serve de Laboratório e Biblioteca da Casa das Cenas - Educação pela Arte

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Novo LOGO da Hora do Conto criado por Silvio Maltez


Desde 21 de Junho de 2012 que a Hora do Conto tem novo logo. A criação foi do associado Prof. Silvio Maltez

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Contadora de histórias de Curitiba em Sintra (Brasil em Portugal)


"Ai que ótimo! Ficarei super contente em te conhecer!
Chegaremos no aeroporto de Lisboa as 15h amanhã. Para não atrasar, iremos diretamente para Sintra então. Nem passaremos no hotel.
Suponho que entre os trâmites de pegar as malas, pegar o carro alugado, sair e chegar em Sintra, no máximo as 17h estaremos no local onde vc orientou".

Rossane em Sintra | Portugal
Foi assim. Uma parte da estória de um convite de Jozé Sabugo e o ultimo mail enviado por Rossane, uma genuína contadora de histórias, antes de chegar ao local que lhe foi indicado - A Casa das Cenas - Educação pela Arte | Catedral da Hora do Conto em Sintra.
A outra parte da estória, Rossane, passado alguns minutos de uma agradável conversa foi convidada a subir ao palco para contar uma história da sua terrinha. Após os amigos presentes se acomodarem colocou um chapéu de três bicos, tradição do povo da sua região (Curitiba) no Brasil e, após tocar um pequeno sino várias vezes, começou a contar a história A Loucura e o Amor.  Foi um momento mágico, único e o Brasil e a sua cultura, em Sintra | Portugal, brilhantemente representado.  A história "A Loucura e o Amor" de autor anónimo fala como o Amor pode ser louco fazendo o bem a todo o Mundo.  O chapéu de três bicos usado remete aos princípios da antroposofia, do “pensar”, “sentir” e agir”, por isso as três pontas. E é o chapéu que mantém o ritual para “chamar” a história para ser contada. História essa que flutua sempre entre os vários mundos.

Foi em Agosto, acho que dia 25, sem certeza - disse Rossane quando lhe perguntei qual foi o dia em que esteve em Sintra. Sei que ficou na memória de todos os presentes. Com toda a certeza.
Obrigado Rossane
Obrigado Luis pelas fantásticas fotos. 
.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Ler a Contar Contos da Lusofonia por Jozé Sabugo

Ler e Contar contos de autores de língua portuguesa é poder partilhar um fundo de universalidade e um cumprir Portugal no pensamento de Fernando Pessoa, Agostinho da Silva entre outros, sem paternalismos e patriotismos bacocos.
A língua de Camões, também ela chamada assim, é mágica em qualquer geografia lusófona e por isso cheia de tanto colorido local e o reflexo de personalidade e cultura de cada povo. 
Segundo Viegas Guerreiro “Para narrar um conto destaca-se um indivíduo que, em geral, fala em (nos povos Aquém-Cunene é mais frequente ficarem os oradores sentados). Pouco a pouco ele vai-se animando, modula a voz segundo os vários actores que intervêm na recitação, intercala interjeições, ora lamentoso ora explosiva-mente admirativo. Gesticula não com os braços, mas conforme as exigências da narrativa, com o corpo todo. O auditório toma parte viva, estando às vezes como electrizado. Manifesta de onde a onde ruidosamente aprovação ou desaprovação, sublinha as partes hilariantes com risos estrepitosos e reage entendidamente às frases sarcásticas” 

Sublinhar todas as melhores partes da Lusofonia é também o propósito desta iniciativa.
Contos de vários autores da Lusofonia
Criação e Contadores de Histórias: Jozé Sabugo
Domingos pelas 11.30h  MÊS de Julho 2012
Duração: 40 minutos
Investimento: 3 moedas de Euro
Local: Sintra - Catedral da Hora do Conto | Casa das Cenas - Educação pela Arte
Produção: Grupo Acusa Teatro
Realização: Casa das Cenas - Educação pela Arte
www.horadoconto.com

quarta-feira, 11 de abril de 2012

quarta-feira, 28 de março de 2012

Hora do Conto em Monchique - Dia Mundial do Contador de histórias

Este ano de 2012, no dia 20 de Março, em vez de comemorarmos (Jan Gomes e Jozé Sabugo) o dia do Contador de histórias na Catedral da Hora do Conto, tivemos o privilégio de o fazer na chamada Sintra do Algarve, a convite do municipio de MONCHIQUE. Foi um dia fantástico, para os miúdos e graúdos, para mais tarde recordar. Na vila, nunca se tinha comemorado o dia Internacional do Contador de histórias. Obrigado por essa oportunidade.
O Dia Internacional do Contador de Histórias é comemorado em 20 de março, principalmente na Europa. É uma data de celebração mundial e coincide com o início da primavera no hemisfério norte, e do outono no hemisfério sul. As raízes do evento iniciaram em 1991, na Suécia, e chamava-se “Dia de Todos os Contadores de Histórias”. O evento prosseguiu em 1992, mas após isso foi perdendo força. Em 1997, contadores de histórias em Perth, Austrália Ocidental coordenaram uma celebração durante uma semana, comemorando 20 de março como o Dia Internacional de Narradores Orais. Ao mesmo tempo, no México e outros países da América do Sul, 20 de março foi celebrado como o Dia Nacional de Narradores.
A de 2001, a rede escandinava de contadores de histórias deu um novo impulso ao 20 de março, e a partir do ano seguinte, o evento espalhou-se da Suécia para a Noruega, Dinamarca, Finlândia e Estónia. Em 2003, a idéia chegou ao Canadá e outros países. Assim, o evento tornou-se conhecido internacionalmente como o Dia Mundial do Contador de Histórias. A França iniciou em 2004 e no ano seguinte já eram 25 países em 5 continentes. Em 2007 aconteceu um festival em Newfoundland, Canadá. Em 2008 a Holanda participou com um grande evento chamado Vertellers no de Aanval' e três mil crianças ficaram surpresas com a aparição repentina
de contadores de histórias em sala de aula. Em 2009, houve eventos Mundial Storytelling Dia da Europa, Ásia, África, América do Norte, América do Sul e Austrália.
Cada ano, muitos dos eventos de contadores de histórias individuais que acontecem ao redor da Terra, estão ligados por um tema comum. Cada ano, o tema é identificado e acordado por contadores de histórias de todo o mundo.

15º Aniversário da Hora do Conto em Sintra


A Hora do Conto em Sintra assinalou o seu décimo quinto aniversário em 2010, como um projeto de animação e promoção do livro e da leitura para miúdos e graúdos, partilhando histórias, cantigas, brincadeiras, o silêncio, a musicalidade das palavras e valorizando os contadores de histórias, autores, ilustradores, musicos, o tempo, o fazer novos amigos e desenvolver/aperfeiçoar o nosso ser interior pela educação pela Arte.



Um ano depois, dia 1 de Outubro de 2011, simbólicamente fizemos a inauguração da Catedral da Hora do Conto em Sintra. Assim, neste espaço, haverá sempre uma história para contar. E quando não puderem nos visitar, nós estaremos sempre entusiasmados e disponíveis para ir contar histórias em qualquer Biblioteca, Escola ou Geografia.
Podem ter a certeza que teremos todo o gosto de vos poder contar na primeira vez que vos visitar.